9 de agosto de 2008

José Cayolla


Faz dez anos que o José Cayolla faleceu. Parece que foi ontem. Numa merecida homenagem o FITEI dedicou espaço, intervenções e patrocinou a edição de um livro sobre o encenador. Conheci o José Cayolla quando tinha 14 anos. As nossas famílias eram amigas. Ainda hoje, o que me deixa mais saudades. Quantas conversas. Depois de eu sair da faculdade, de volta ao Porto, muitas visitas lhe fiz no Teatro Carlos Alberto. Gostava de o ouvir falar sobre o teatro, a política, a família. Eu admirava-o. Éramos amigos. Conheci alguns dos que o rodearam e que bafejavam por ser de "esquerda". Queriam-no de esquerda. Concerteza; mas nunca escondeu da mão direita o anel de brasão que herdou do pai. O José Cayolla foi um genuíno intelectual do Teatro. Um homem vertical. E de valores. Como bem diz o título do livro, foi "Um Aristocrata do Teatro". Um aristocrata no teatro.

Sem comentários: