7 de agosto de 2008

"O Mar da Memória"


"Durante a pesquisa para a realização deste livro* aconteceu uma descoberta feliz. Reencontrei uma fotografia que visitava muitas vezes quando eu era menino de escolinha. Ainda me lembro do dia em que a conheci. Era uma de várias fotografias que habitavam num grande prato decorativo, colocado no chão da sala de estar da casa dos meus avós maternos, em Vale de Cambra. Ali, ficou suspenso o meu olhar e o meu espanto e, sem largar aquela imagem, pus-me a ouvir o seu silêncio e os seus segredos. Enquanto olhava, o tempo inventou-se para me contar histórias que imaginei como se me estivesse a lembrar: “ Era uma vez... ... ...”.

Essa fotografia, que publico na página ao lado, foi o primeiro passo para eu me descobrir e ficar agarrado ao meu próprio caminho, de si já traçado pela memória de outras vontades e de outros destinos.
Eu — aquele homem — eu — aquele lugar.
O homem, que me despertou, é o meu bisavô Manuel Bento (poderei dizer meu querido bisavô?), o mesmo que partiu de barco para longe-longe, com o aceno da saudade da minha avó que se perdeu no horizonte do mar. Nesse mesmo mar da memória em que viajo o olhar, com os olhos da minha avó — com os olhos da minha mãe, que um dia serão os olhos de alguém, também.
Pode ter sido há muito, poderia ter sido agora. Para mim o foi e o é são o mesmo sempre. 
Sei que a memória da História recorta-nos paisagens com o mesmo céu que se ergue hoje sobre nós. Também sei, porque descobri, que o amor faz nascer os sonhos perdidos. E aprendi, ao abrigar-me das nuvens cinzentas do medo, que a família é a estação permanente das nossas vidas.

Recordo-me de pegar nesta fotografia e de a guardar noutro lugar, junto a outras que se encontravam protegidas, amparadas e aconchegadas numa caixinha de madeira, que se encontrava junto à lareira da outra sala de estar.
Era uma caixinha tal como nós. Com gavetas de abrir e fechar."


* Maria Amélia Amorim de Carvalho – Percurso e contributo para a dimensão histórica da família. Porto, 2002.

Sem comentários: