23 de novembro de 2008

esquerda-direita, ....er



Fala-se na crise dos partidos à direita. Quais? Fala-se na crise da ideologia dos partidos à direita. O Liberalismo? A maior parte das peças jornaleiras que leio são abjectas, faciosas e provocadoras para o juízo imparcial. Toda a colagem retrospectiva, ideacional, com a "direita" tem o travo da evocação Salazarista, os anos perdidos, o conservadorismo (existe algo mais conservador que o comunismo?), o fascismo. Já cansa o argumento mas o facto é que a "esquerda" insiste e vive da enxaqueca da "direita" que nunca o foi. Se há constatação plausível é um pleno de omissão ideológica em todos os partidos em prol das diversas demagogias. A maior evidência está nos partidos que não se dizem extremistas, PS, PSD, CDS, mas mesmo nos outros a "ideologia", da cartilha ao líder, é uma vulgar isca panada. Política com partidos, mal paridos, como os que temos não fazem falta. A verdade é que "eles" são todos iguais! Eles, os partidos...Urge uma militância cívica que saiba ler e perceber os valores que nos tolheram e que precisamos erguer e construir. Um povo que não se deixe iludir pelo ilusionismo do "marketing político", que tenha a liberdade para optar sem medo de perder o emprego ou o "tacho". Se a direita que gostavam de fazer renascer for como esta direita-esquerda então ela bem pode ir a enterrar porque basta a existente esquerda-direita. Aliás o Socialismo é hoje uma gorda hermafrodita que toma a aparência que quer.