28 de janeiro de 2009

Dos climas propícios de Davos ao "clima" de 1910

(Davos, 1895; à esq. Manuel Bento Rodrigues Saldanha de Oliveira Camossa; à dir. barão Schmitz)

Hoje tem início mais um encontro do "Fórum Económico Mundial" que em Davos vai abordar o "clima recessivo" mundial e o colapso do sistema financeiro do "mundo desenvolvido"!

Esta notícia levou-me a rever as cartas e fotografias de um familiar, Manuel Bento, durante a sua estadia em Davos pelos anos de 1894 a 1899. Era uma terra dinâmica, com expressão científica, à qual recorriam centenas de jovens pela particularidade da sua universidade – "Fridericianum", fundada em 1878 – ter sido instituída, primordiamente, para acolher estudantes sofredores de tuberculose que se albergavam nos Alpes para tratamento. Aqueles ares foram pródigos para Manuel Bento que estudou e tratou da sua doença. Foi um primeiros Agrónomos. Em Portugal fundou um jornal (Independência d'Águeda, 1904), empreendeu a venda de leite em vidro higienizado, reconverteu a forma de produção de manteiga utilizando processos mecanizados, deu cursos, palestras e iniciou uma transformação agrícola importando, da Suíça e Alemanha, nos inícios do século XX, máquinas de lide de grande porte. Foi um dos fundadores do partido Regenerador-Liberal. Mas os "ares" portugueses não lhe devem ter feito bem pois em Dezembro de 1910, apesar da sua enérgica actividade, rumou, definitivamente,  para os Estados-Unidos... É... O Afonso Costa tratou-lhe da "tosse"....

Sem comentários: