10 de abril de 2009

Alguém


Talvez pela minha educação, nunca me vi durante a infância a pensar o que eu queria ser na vida. Nunca tive essa pressão da minha mãe ou dos meus avós maternos, que me educaram, mas não me faltavam as histórias de avós e ascendentes que foram isto e aquilo. Na verdade nunca me senti preocupado em pensar no meu ser no futuro. Vou ser sincero, preocupava-me mais pensar no que eu não queria ser! Não é de agora mas nos últimos anos tenho assistido a um fenómeno que me ultrapassa e que espelha bem a política demagógica que se anda a ensinar à nossas criancinhas, já contando, também, como os papás que assinam pela mesma pena: o fenómeno do querer ser "alguém". Esta visão, numa teoria plana, seria interessante não fosse colidir com o contexto contemporâneo propalado da igualdade e unidade, como maior bem, social. Na escolinha dizem para sermos grandes, em adultos remetem-nos todos para médios, na velhice ninguém se importa de tão pequenos. Face a esta incongruência é normal que um cidadão-pai mesmo que vote num partido de esquerda empurre o sonho dos filhos para o partido do alguém-na-vida. Os filhos mais tarde, quando são "alguém" (especialmente os que têm Partido) agradecem ao pai, e a todos, dizendo com orgulho que vieram do nada, melhor, do povo, etc. Incongruências à parte, o que me preocupa é o tipo de "alguém" que as pessoas querem ser. Os géneros Alguém disponíveis e que constato como exemplo dos últimos anos não primam na maioria pela adjectivação de valores, carácter, veracidade; fiquemos-nos pelos exemplos mais comuns: pelo que observo um dos géneros que está a dar é o "alguém" famoso na política ou nos negócios, rico, bonito, sempre-jovem, mesmo que nos sessenta; mas o tipo de "alguém-mesmo-alguém" é o género interventivo, na política, muito de esquerda mas com ar burguês-elegante, rico mas sem ares de rico e muito opinativo, desde política até assuntos do próximo-oriente. Sem ironia, que exemplos como espelho pessoal e social têm surgido? Que exemplos no presente nos sugerem exemplos de futuro?... ... alguém se preocupa em ser exemplo?

1 comentário:

Nuno Castelo-Branco disse...

... a menos que seja jogador de futebol, ehehehehehe!