14 de agosto de 2009

Liberdade... liberdade


Os bravos do "31 de Armada" sabiam no que incorriam quando subiram à varanda. Cometeram vários crimes, etc... ... e içaram uma bandeira monárquica subtraindo uma bandeira municipal (talvez tenham a pena agravadíssima). O simbolismo foi forte e está a bater mais forte ainda na cabeça dos situacionistas, que não esperavam "tal coisa" neste país tão moderno, onde os comentários sobre este tema roçam a buçalidade, dos ressabiados e dos "republicanos convictos"; sim, daqueles que ameaçam de porrada toda a insurgência e condenam os actos de terrorismo perpetrados contra a nossa isenta República, a mesma que foi gerada pelo crime e terrorismo! E é aqui neste anátema que vai surtir a mais bela oportunidade de bulir com as consciências... É que não se pode defender a liberdade quando ela suporta a ausência dela. Aos defensores do golpe de estado de 1910 só resta continuar a arranjar desculpas para justificar o aborto mal parido da república. Aos monárquicos resta a esperança da livre expressão, da livre opinião e da voz do povo para se iniciar um referendo sobre o regime. ... se não for tudo para a cadeira.

Sem comentários: