11 de setembro de 2009

Mandar para a veia


Uns drogam-se de pó. Outros drogam-se de ódio. Outros drogam-se de rancor. Muitos drogam-se de inveja. Má sorte tudo estar legalizado e já não ser crime o consumo individual, senão o tráfico. De pó. De influências. Em campanha política o que mais se vê são vícios. Viciados. Os coitados dependentes são sempre os mesmos. Os traficantes e vendedores da ganza não mudam o discurso nem o produto não vá a clientela perder-se para outros dealers. Tenho pena dos viciados sempre à espera de alimentar o vazio que nunca se satisfará com pouco, não olhará a vitimas para satisfazer os seus caprichos. Aos grandes traficantes de um produto chamado "esquerda" não faltam clientes caídos nas dificuldades da vida e daí no fácil vício da inveja e do desprezo pelo sucesso alheio, ávidos da igualização social, quiçá dos sentimentos. Olhem para eles. É vê-los a fornecer a dose certa para manter as ressacas acesas. Bons sonhos.


Sem comentários: