19 de outubro de 2009

Não vejo, não creio


O "fenómeno" Saramago é interessante e crucial! Acho por bem baptizar a sua teoria e inscrevê-la em todos os futuros testes psicotécnicos e afins. Aliás, as palavras deste sujeito, e a cartilha metafísica que deseja fincar, devem fazer ritual num novo código racionalista que devemos fazer para nós mesmos mal acordamos (pela noite ou pela manhã). Perguntemo-nos: já viste o amor? Não? Então ele não existe; Já viste um átomo? Não, nem agora com todos os computadores do mundo? Não? Então não existe; Já viste para lá do sistema solar? Não. Seu estúpido alienado, então não existe! Deixa de ser morcão, racionaliza-te ou queres acreditar nessas coisas como os estúpidos católicos acreditam em Deus?

1 comentário:

Nuno Castelo-Branco disse...

Estamos é a perder tempo demais com esse apnahador de pesetas.