9 de outubro de 2009

Nobela



Criamos umas coisas na cabeça, às vezes induzidas, tipo: um homem imagina que lhes estão a crescer uns "palitos" e mata a mulher. Das várias coisas que criamos na cabeça a mania das grandezas é das grandes enfermidades mas nada pior do que a mania das "Instituições"; uma vez que instituídas é difícil tirarmos a panca. Existe uma criação mental, que tem sido muito contagiante, que é a mania dos prémios. Se eu der um prémio ninguém liga mas se for do Nobel já todos acham bem. À poucas horas atrás, o Nobel da Paz foi atribuido ao presidente dos Estados Unidos da América. E com o prémio vão os "palitos" da Paz. Para muitos, a partir de hoje, o Obama é o homem mais pacifico do mundo, o homem que mais contribuiu para a paz, o homem que é a paz mesmo que esteja na chefia da guerra do Afeganistão. Com tantos homens e mulheres no vasto mundo a paz ser entregue a uma só pessoa parece-me motivo para conflito. Esta mania que criamos na cabeça de eleger um entre todos sem se conhecer os "todos" é também uma enfermidade, uma provocação. Quem ganha é a cobiça e a inveja que são coisas que tão bem conhecemos das Nobelas...

Sem comentários: