14 de janeiro de 2010

(14 de Janeiro de) 1929 - 1989


Volta com as minhas lágrimas. Quando foste era cedo. Tão cedo que eu não acordei. Ainda sonhava com o lugar onde se entregam as almas carregadas de amor e onde olhares espreitam a porta que deixa entrar e nunca deixa sair.
...
És tu?
Entra mãe. Volta, para que eu possa viver. Viver toda a vida mesmo quando a vida for escondida, por fim.


João. Abril de 1994

in Poesia Escondida, Porto. 2002