30 de janeiro de 2010

Arrotem


A conjugação oportunista de uma subvelação de sargentos e praças, em luta por promoções, e de uns dissidentes do partido republicano do porto, entre eles o maçon Manuel Alves da Veiga, levou a uma ocupação da câmara do porto entre as 07h00 e as 11h00 do dia 31 de janeiro de 1891. Três horas, o tempo suficiente para uma modesta força se organizar e os tirar para fora do dito edifício público. Os arautos e os emergentes na época trataram de escrever sobre o assunto mas o que eles escreveram à data não interessa para nada, para os de hoje, o que interessa é afirmar que "realmente" foi uma "revolução"... e republicana.... Vamos a ver se em 2019 se lembram de celebrar a comemoração da "monarquia do norte" que esteve de pedra e cal, não três horitas, mas várias semanas – até notas foram impressas....
Uma ralé arrotou baixinho no dia 31 de Janeiro de 1891, mas altos arrotos se ouvirão nas comemorações da farsa-ralé.

1 comentário:

Nuno Castelo-Branco disse...

Daqui a 9 anos, faremos o mesmo!