25 de fevereiro de 2010

Da verdade da notícia

Os "meios" justificam os fins! A internet, a on-linecização do indivíduo, a televisão, tudo são meios que privilegiam a distância – pretendida. No meio de tanta "virtude" e de tanta "felicidade" – à mão – a veracidade da informação está em causa. Como podemos acreditar? Podemos acreditar nas intenções, propositadas ou espontâneas, dos veredictos noticiosos e opinativos? Ou devemos acreditar em tudo o que se move em RGB? Será que acreditar no que é noticiado é o único meio para a satisfação da nossa sobrevivência emocional? As únicas verdades em que acredito estão fora das máquinas. Talvez por isso nada me frustra no limbo dos media.

Sem comentários: