26 de junho de 2010

Um "principio" sem fim

Em Arcos de Valdevez decidiram homenagear Mário Soares. Lamber-lhe os chinelos. As figurinhas deste regime correm para lá não vá chegarem tarde à fotografia. Um conhecido advogado definiu o homem:Filho dilecto e descendente moderno da revolução francesa. Pelo meio de debates, teatros e descerramento de pinturas o sr. Soares vai inaugurar a exposição "Quem fez a República e Mário Soares, um princípio sem fim". Realmente nunca vi um título mais apropriado a este ano de centenário. Por mais lavagens e mentiras que queiram proferir a república foi feita por "cidadãos" sem "principios", sem ética, escumalha sem problemas em perseguir e matar, gente sem calibre moral mas de arma em punho a defender os bolsos cheios; acho piada colarem o sr. Soares a este cenário. Assumi-lo só lhes fica bem. Pena que o país continue a adular um "principio" sem fim à vista.

Sem comentários: