23 de julho de 2010

Utilizador-pagador


A República dá-nos os melhores exemplos do que deve ser a distribuição imparcial e igual dos benefícios, dos direitos... Quanto aos deveres, não sei, onde eles andam! A "reboque" da discussão de portagar as SCUT, – e da necessidade latente que os governos têm em arranjar dinheiro para continuar a sustentar artificialmente este regime – lembro à governança que à muito a que cobrar: portagar a utilização dos parques, jardins, passeios novos, mira-douros, parques naturais, rotundas. Não, não estou a falar da locomoção em viaturas, estou a falar de peões, andar a pé. À que pagar, digamos assim, prostituir o bem público.

20 de julho de 2010

Um antídoto contra a incúria


E se inventassem disto para a inteligência? Será que podiamos ficar descansados contra a contaminação da incúria?


Os Donos da República

Um partido político está para apresentar uma mera proposta de revisão constitucional. Está a divulgá-la. Já se ouvem os berros. Dos "donos" da república. Podem ter a certeza. A constituição, que para mim não tem melhor aspecto que a mais decadente das put.... da Trindade, tem donos. Eles gemem só de pensar nas carícias dos tentáculos alheios que ousam penetrar na cloaca do calhamaço inútil, que ninguém lê, ou sequer quer ler, mas que se veste do maior cinto de castidade. A "constituição" a seus donos... ... ! A "Constituição" já foi alterada para o "aborto", para o casamento de pessoas do mesmo "sexo", mas ninguém, por mais puro que seja, que pense que se altera para questões tão púdicas e sensuais como o trabalho, saúde, educação.... Os donos da dita não se deixarão engatar por qualquer homenzito das direitas, Olha! Se fosse outro...

Melhor que muita realidade

12 de julho de 2010

Os eruditos das coisas (anti) Portuguesas

"Depois, pensei. Coitado, não sabe o erudito estudioso das coisas [anti]portuguesas no Oriente que Macau teve no Colégio de São Paulo de Macau a primeira universidade ocidental na Ásia, que a Escola Médico-Cirúrgica de Goa, criada em 1842, formou até à invasão indiana do Estado Português da Índia mais de 3000 médicos, que os portugueses estabeleceram em Macau a primeira tipografia de caracteres móveis em 1585, que na Etiópia funcionou a primeira prensa editorial desde 1515, que no Japão se imprimiram os primeiros livros em 1598, graças ao saber técnico dos nossos missionários, que Macau teve na Abelha na China o primeiro jornal do continente, que em Évora se ensinavam em finais do século XVI as grandes línguas do sub-continente indiano. Depois, esqueceu-se o sábio que os missionários não ensinavam o catecismo em português, mas em "lingua japónica", em "língua chin", em malaio, siamês, concani, tamil, abexim, swaili e "lingoa conga" (de Congo). Estou cada vez mais farto da conspiração de estupidez que rodeia os escritos - pagos e editados pelas nossas agências estatais - e se limitam a insistir na lenda negra do Portugal fanático, colonialista, belicista e "inquisitorial". Coisas da geração de 60, dos seus filhos e netos que matam tudo em que tocam."

Miguel Castelo Branco, in Combustões

9 de julho de 2010

A Playboy com Saramago


Se a "Playboy - Portuguesa" queria também participar na "homenagem" a Saramago ao invés de colocar na revista um modelo com uma postura iconográfica de "Jesus" porque é que não fez um trabalho decente de photoshop e colava a cara do nobel no corpo de um "fodilhão"?

3 de julho de 2010

Porra para candidaturas destas e para a República


A pretensão à chefia de estado devia ser vetada a todos os que já tivessem "exercido" cargos políticos, emanados da rede partidária, pelo perigo do clientelismo do poder, parcerismo ideológico, traficância de "influências", corrupção material e afins. Mas a "constituição" permite, assim como permite o aborto, etc. Quando começam as campanhas a Presidente a imbecilidade mostra-se, quero dizer, os candidatos demonstram maior ou menor imbecilidade, é notório. Em fase de pré-campanha, o candidato Alegre critica o seu opositor, que ainda é o Presidente em exercício, pelo facto deste mentir! A mentira é pedir aos jovens que "tenham coragem e sejam empreendedores", numa altura em que grassa o desemprego. Para o putativo candidato o Presidente devia estar calado. Não ele, candidato. Ao mesmo tempo o candidato apela à mobilização dos jovens dizendo que "é essencial mobilizar os jovens desta geração da precariedade para a causa pública e para a política." Entenderam? Mobilizar para o empreendorismo é mentira, mobilizar para a política é verdade! Porra para candidaturas destas e para a República.

1 de julho de 2010

Como "eles" dizem, nunca esquecer...

(...)

Ó justiça dos séculos, ó justiça da História,
inscreve-lhes os nomes no muro da ignomínia,
para que as gerações lhe cuspam na memória!

Fez-se a paz. Portugal
tem um punhal no flanco.
No céu a pomba preta vai pintada de branco.

Crespo, Cunhal, Vasco, Antunes, Soares,
Costa o Judas, Otelo, Rosa, Santos...
Os vendilhões da Pátria! E mais, e tantos!
Hidra de cem cabeças vis alvares!

Fiquem os nomes seus patibulares
no mura da ignomínia, sim! Espantos
dos espantos, mais sinistros de quantos
inda tinhas, História, pra contares!

Monstros num monstro só, porque eles são
os irmãos-siamezes da traição!
Mentirosos, venais, macabros, reles!

Atira-os, ó Desonra, prá buraca
onde a História tem a sua cloaca!
E, ó Nojo, vomita em cima deles!

Nomes de ignóbil tema,
aqui ficam pra sempre,
– porque pra sempre fica este poema!...

(...)

excerto da poesia "Comédia da Morte", Vid. Obra Poética Escolhida. Volume III. A Comédia da Morte e outros Poemas. Lisboa, 1979

Eu sei que nem tudo o que "golden" é ouro


Há uns anos o pai do socialismo quis fazer-nos entrar para a CEE qual cú da galinha dos ovos de oiro. Ao fazer isso deu um passo para a diluição da veia retrógrada do socialismo português, o que até não foi mau, para o Socialismo! Entramos na livre circulação de capitais, moeda única, parlamento único, juros únicos, ópticas díspares, começamos a ver-nos nas estrelinhas. Volvidos mais de duas décadas vemos que o socialismo e a "esquerda" caseira regrediram e apresentam uma artrite e rouquite crónica. Uma das provas é a "golden share" do governo nalgumas empresas públicas; quer dizer, a posição do estado-velho, revolucionário, a dizer que "é tudo nosso", do povo, do proletariado enganado. Esta nuance do estado sobre as coisas é obra do socialismo arcaico, que sonhava que um dia andariamos todos de fato macaco e com o mesmo corte cerebral. Da "europa" dizem que esta "posição" é ilegal e que contraria aquilo que assinamos quando "aderimos" – ou aderiram por nós, quer dizer! – ao mercado comum. Lá por o estado ter uma "golden share" eu sei que nem tudo o que "golden" é ouro...