24 de agosto de 2010

Medo do confronto


Sempre gostei de ler o que escrevia o Lobo Antunes, o António. Já não o leio há uns tempos. Vejo agora nos media uma polémica que o coloca frente a frente com antigos combatentes do ultramar do qual ele também faz parte (já se sabe que em Portugal os escritores polémicos vendem melhor). Pelo meio, pelo fim, faltou a um encontro em Tomar. Uns dizem que ele fugiu ele diz que foi enganado e que não tem medo do confronto. Bem para mim ele, o escritor, fugiu de qualquer coisa. Seria dos antigos combatentes que o iriam confrontar? Seria o António que os iria confrontar? Ou seriam as suas palavras – as que o escritor escreveu sobre a guerra e na qual diz que os militares que matassem mais teriam mais "pontos" – que seriam confrontadas? Para mim o escritor sem medo não fugiu. Quem deve ter fugido foi a "verdade".

Sem comentários: