28 de setembro de 2010

2 notas de relevo


1) Esteve em Portugal um mexicano de nome Angel Gurria que foi ministro das finanças do seu país numa das ditaduras mais opressivas que o México viveu: a "ditadura perfeita", como ficou conhecida. Este fulano preside ou vice-preside à OCDE e veio cá dar recados sobre a nossa economia. Pior. Veio dizer que temos de apertar o nó, da garganta, pois as "finanças" assim obrigam. A vergonha é que este fulano não veio cá passear mas, estou convicto, a pedido do nosso sistema socialista. Nada como um "estrangeiro" para nos assustar e encobrir a covardia da impopular subida de impostos, impostos que terão de subir para pagar o sonho deste socialismo e, não menos evidente, manter este regime.

2) Nem uma palavra ouvi ontem, dia 27 de Setembro, nos principais noticiários sobre o bicentenário da Batalha do Buçaco. Uma data importantíssima para a nossa independência e expulsão dos invasores Franceses; já sem falar nos soldados-heróis que padeceram no feito. Não. Só sabem falar do centenário da bastarda república, filha da outra francesa, que espichou na guilhotina as mentirosas palavras: liberdade, igualdade, fraternidade. Pobre do nosso país. Em 1910 puseram-lhe um barrete e despiram-lhe as mamas. Agora mais parece uma galdéria.

2 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

Fossem eles ofender a amiguinha França. Era só o que mais faltava!

Nuno Castelo-Branco disse...

O problema é que parece habituado à galdéria.