18 de novembro de 2010

Se não o disse digo agora


O Nuno Castelo Branco, colaborador do Estado Sentido, tem sido, nos últimos três anos, uma das melhores surpresas. Ainda não o conheço bem mas a sua prosa, reveladora, apraz o meu sentido crítico e cívico. Sempre me ensinaram em casa a "saber ouvir". Saber ouvir é aprender, melhor, aprimorar o nosso ênfase. O Nuno tem tanto de lucidez como de brilho artístico. Homem de letras e das artes plásticas, a sua escrita viaja pela crónica apaixonada, pela história, cultura, pela honestidade intelectual sem prejuízo das suas opções e convicções. Não é um elogio. É uma constatação.

Sem comentários: