30 de dezembro de 2010

Como eles dizem, nunca esquecer


Em jeito dos momentos de 2010 realço a partida deste inumano. Até acho estranho não estar na galeria dos homens da República, neste ano de, fiasco, centenário.
Como é possível falar-se de Salazar – um dos obreiros da "república" que se comemora – enquanto responsável por uma guerra quando parte dos seus opositores instruíram novas guerras e a morte de conterrâneos? O traidor Rosa não esteve sozinho. No poleiro da metrópole outros tão rosa e tão culpados como este velhaco davam guarida política aos intentos. Convém nunca esquecer.


OBRIGATÓRIO VER O VÍDEO COM A ENTREVISTA

In, Serões da Província


Sem comentários: