17 de dezembro de 2010

Saber ver


Acerca disto. O "subir na vida" por conta própria não está na agenda de muitos portugueses. O português gosta é de viver uma vida mansa. Mandar vir umas sandes, uma bebida e ficar a mirar e a criticar enquanto come e não se engasga. De preferência sentado num serviço público (ou Pública-Privada) com ordenado vitalício ou com as costas quentes de umas boas cunhas (que precavejam a sua inoperância). A ascenção social com sacrifício é coisa de literatura. O povo exige ser tudo, já feito. Não admite ser menos do que as guilhotinas e as balas regicidas lhe prometeram, por isso revolta-se com a sua situação. Não me vou pôr a falar de classes sociais, de elites, de heranças afectivas, seria mal entendido pelos ricos de espírito. Para já transmito o que me disse, e não me esqueço, um jardineiro que conheci, bem na casa dos 80 anos, e a trabalhar: ó sr. Amorim, sabe o que é que mudou para nós depois do 25 de Abril? Nada. Piorou. Nem mais liberdade temos. O 25 de Abril veio é realmente trazer liberdade para quem queria fazer política, para os políticos. E para roubar.
... saber ver.

2 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

Pois então, veja aquilo que o meu irmão hoje publicou a respeito do populismo...

João Amorim disse...

É certeiro. Contudo, acho que portugal tem mais Tiriricas do que o brasil. A política sempre foi um escadote para alguns, uma escada magirus para os "tiriricas"