15 de abril de 2011

Menoridade


O sr. Soares disse aos jornalistas que não devemos ter medo do FMI porque o seu presidente era "Socialista"! Tal como ele, tal como o desgoverno irresponsável que nos tem orientado nos últimos anos. Eu, se fosse ao sr. Dominique Strauss Kahn, ou fugia desta ideologia ou metia um processo ao sr. Soares por hipotética comparação por arrasto. Depois, o sr. Soares, disse que não estava admirado com a atitude da  Finlândia, por pensar duas vezes se nos quer apoiar na ajuda externa, porque esta era governada pela "extrema-direita". Esta demagogia bacoca e demagógica tem em si todo o conteúdo de menoridade moral e mental que nos têm impingido desde 1974. 
Existem muitos Pilatos que se escondem atrás das ideologias para tudo obterem e a tudo se escusarem, à custa da simpatia clubista. Os portugueses não têm apenas uma crise económica às costas, bem vergadas, têm um caixão-sombra de complexos e mentiras nos miolos que os travam de serem livres. O Socialismo Abrilista, mais revolucionário menos revolucionário, mais à direita mais à esquerda, tornou Portugal num estado-parcial, num estado-patrão (muito mais patrão/promíscuo que o da I e II República), num estado-subserviente, num estado-corrupto, num estado-subsidiário, num estado-do-Partido, num estado-cobrador, num estado-Menor. Menor. Gigante, desporcionado, tão menor. E agora vem o FMI (do "Socialista") pedir para crescermos... ...

Sem comentários: