1 de abril de 2011

Os pós e as contas


Enquanto o socialismo governante paga com dinheiro do orçamento banco-roto os abortos a pedido, o Eurostat põe cá fora uma análise porreiro da fecundidade em Portugal. Diz o relatório que os valores em causa são uma preocupação e uma "ameaça à renovação das gerações". Entretanto, a Liberdade festeja mais um record de Abril, quase 40 mil mulheres abortaram nos últimos dois anos em Portugal, 19.436 abortos em 2010, menos 412 do que em 2009 (19.848), e umas centenas de mulheres já fizeram mais de 10 abortos! Não esquecer que a seguir à intervenção vem uma baixa, um subsídio e mais Liberdade moral. Para os adeptos, das adeptas, os actos resumem-se a pós, para outros a contas.

Sem comentários: