10 de maio de 2011

Encomendar


Por motivos de trabalho contacto com imensas pessoas que trabalham em instituições do estado. Vontade não lhes falta. Dinheiro nem vê-lo. Sendo assim, relatam-me a quantidade de revistas, livros e sites que lêem para passar o tempo e a consciência. Na maioria são profissionais exemplares, mas existem na função pública para cumprir tarefas. Fico-me a pensar. Se não houver verbas para aplicar para que são necessárias milhares de pessoas nas instituições? Se a médio prazo o investimento em cultura, acção social, educação, promoção local, etc, for esvaziado as funções que milhares de técnicos superiores cumprem nas organizações está em causa. Algumas dessas pessoas estão tristes. Outros poderão estar alegres. Abril garante-lhes a estabilidade do salário a bem ou a mal. Alguma coisa correu mal no processamento desta 3ª República... fez-se sem pensar, sem estudar, sem pormenorizar, sem acalentar.... a governança empregou à fartazana, principalmente conhecidos e familiares, pediu e gastou sem escrúpulos, mandou vir sem olhar. Alguns políticos ainda têm a lata fedorenta de dizer que gastaram em nosso nome, em nome do "progresso". Vamos pagar. Pena que os gastadores continuem sem pagar, no corpo, pelo que "encomendaram". Muito gosta este povo de passar cheques em branco a larápios e a escroques.

Sem comentários: