8 de junho de 2011

Carta de pólvora

Uma carta está a ser exposta publicamente em Nova Iorque, uma "carta" importante. Foi escrita por Hitler quando este tinha trinta anos e era um mero soldado. Essa "carta" reafirma o cérebro perverso do Adolfo no Holocausto. Não são necessários documentos, basta-nos a realidade do que foi. Não importa se uma se dez vítimas. Mas os "Judeus" gostam muito de documentos. Nada garante ao mundo a veracidade desse documento, pois está assinado mas escrito à máquina. Eu também adoro documentos, tenho uma forte paixão arquivista. Como documento, guardei registos dos dois ataque desumanos que, nas últimas semanas, vitimaram 24 Sírios, entre centenas de feridos, que se manifestavam na fronteira dos Montes Golã. Os netos das vitimas do Holocausto estão activos, seja a expor "cartas" seja no gatilho, e concerteza também devem ter muitas cartas escritas sobre a questão dos Palestinianos. 

Sem comentários: