18 de agosto de 2011

A fé

Os marchantes profissionais da esquerda espanhola juntaram-se outra vez em Madrid para se manifestarem contra a presença do Papa e os "custos inerentes". O que ele dizem não se coaduna com os intentos, tanto mais que o Alcaide já veio afirmar que o retorno já se faz sentir e que se espera um encaixe financeiro muito considerávelmente acima do que o governo espanhol vai dispender. Estes "indignados" não estão contra os gastos de 50 Milhões que custa a dita visita... estão contra o Papa! Do montante, que serve de bode expiatório para a contestação, 80% são angariações de fiéis e do Vaticano ao que o governo espanhol comparticipa cedendo instalações e dando um desconto a viagens organizadas por grupos institucionalizados de juventude. O que estes laicos, republicanos, homossexuais, ateus e “indignados” pretendem é criar barulho e constrangir um encontro de jovens sem paralelo em nada no mundo. Qual concerto, qual quê, nem os Rolling Stones, Beatles e outros quaisquer juntos conseguiriam fazer reunir tanta gente: estima-se que chegue aos 2 milhões de pessoas. Perante tamanha expressão de fé, uns poucos milhares de "indignados" começaram a agredir verbalmente comitivas de jovens católicos (num dos cânticos que ouvi na televisão, chamavam "Nazi" ao Sumo Pontífice), que se concentram para o encontro com o Papa,  e acabaram a atirar garrafas de vidro e pedras à polícia. Que gira demonstração de Liberdade e de respeito pela liberdade alheia! Quer queiram quer não, a resposta dos jovens ao apelo do Vaticano – as Jornadas Mundiais da Juventude em Madrid – são uma verdadeira Revolução, um punho acertivo contra a doença do materialismo, a mesma que os "indignados" dizem combater! 
...mais garrafa mais pedra, mais polícia mais gritaria, a "movida de esquerda" da Porta do Sol debandou completamente pelas 23h00... à mesma hora que começava o Barcelona-Real Madrid!!...

Sem comentários: