25 de outubro de 2011

As prioridades


Nada se faz que não a preocupação do défice, das contas, dos juros. É ver os políticos empenhadíssimos a tratarem dos "problemas" prioritários. Entretanto parte da vida fica de parte. Nunca houve tanta violência gratuita, parte dela encostada à conta da "crise". Como nos últimos anos o socialismo só se preocupou com garantias e mais garantias para os cidadãos, esquecendo-se de professar os deveres, a coisa chegou onde chegou. As leis já deviam ter mudado de acordo com a realidade; o tempo do ladrãozeco com escrúpulos acabou. As penas de prisão têm de marcar a vida dos delinquentes tanto quanto as acções destes marcam a vida das vítimas. Entretanto mais pessoas vão morrendo à custa de uns maços de tabaco, jóias, ATM's, carros e arrufos com ex-namoradas. A escumalha diverte-se com a legislação. Mas primeiro as contas, depois a vida.

Sem comentários: