10 de outubro de 2011

Manuel Bento


Se fosse vivo o meu irmão mais novo, Manuel Bento, fazia hoje 46 anos. A sua perda, há 21 outonos atrás, faz-me sentir o tempo de uma forma pausada e presente, todo o passado é presente; o passado sentido. De qualquer modo o tempo que falta para o nosso reencontro será sempre curto. Tudo é pouco ao pé da eternidade.

Sem comentários: