30 de dezembro de 2011

Mais uma para o anedotário "anti-fascista"


Esta frase é de Paula Rego, a pintora que dá nome à "sua" Fundação paga com dinheiros públicos mesmo se os "públicos" estão-se nas tintas para a qualidade da tinta que borra. Então a pintora ainda tem medo? Volvidos trinta e cinco anos desde a revolução? Porque não desde os últimos 101 anos? Concerteza deve ter medo. Eu tenho muito medo principalmente das consequências das borradas que os "revolucionários" andam a fazer à trinta e cinco anos...

Sem comentários: