3 de janeiro de 2012

Direito de admissão


A nossa empregada doméstica começou o ano novo a contar-nos a seguinte estória: "Dia 5 vai haver reunião de pais e eu não sei se quero ir! Alguns pais da minha zona já me avisaram que vão partir a cara aos professores, por causa da nota dos meninos"! Tal e qual. Eu, disse-lhe para ela ter calma pois estas atitudes são o prosseguir do comboio rolante da nossa decadência, conduzido pela demagogia da esquerda-à-direita. Que ela tivesse calma, que o povo é quem mais ordena! Há uns anos atrás eu escreveria inflamado um artigo diferente. Hoje, ano novo 2012, limito-me a constactar o que eu pensava e via há uns bons anos. Com calma. A minha luta e energia agora é outra. É um sentimento de protecção muito reservado e circunscrito. Reservando a minha liberdade e vontade de voar, atraído pela cultura e inteligência de alguns, até outras paragens, as vivências que eu percorro estão cada vez mais limitadas a um circuito privado. Com direito a admissão.

Sem comentários: