19 de janeiro de 2012

Gente repugnante


Este país tem gente admirável e gente repugnante. Considero gente repugnante (dentro do espectro temático que pretendo anuir) os que tendo consciência, que se auto-intitulam moralistas, humanistas, fraternalistas, etc, vejam as questões pátrias sob a batuta do agregismo sectário, do primarismo ideológico e as morais pelo espelho mágico dos preconceitos. O pior é que a gente repugnante cativa. Cativa pelo choque, pelo desprezo pelos outros e, ó, como neste país a inveja e o desprezo têm adeptos! Esta gente infecta qualquer família, qualquer nicho, qualquer grupo de trabalho, fala duro e assertivo e se ousarem uma boa barba ou um blaser, desencontrado, mais considerados são. Esta gente, agora, está excitada com o fim dos feriados. Em todo o lado, o mesmo discurso: que se acabem os feriados religiosos mas que se mantenham as pontes para os trabalhadores!! Que se mantenham os feriados revolucionários mas que acabem os feriados patrióticos. Que se erga a memória curta mas que se esconda a verdade longínqua. Esta gente repugnante trepa a tudo. Esta gente repugnante não se repugna. Acha-se limpa. Fixe. "Moderna". É isso que também repugna.

Sem comentários: