5 de janeiro de 2012

Preso ao jantar


Não, com isto não quero dizer que alguém ficou preso, atraído, envolvido pelo jantar, quero dizer que um "jovem", cabecilha de um gangue que pratica roubos após roubos, foi preso ao jantar, ou melhor, segundo as notícias, quando se preparava para degustar uma "francesinha". Estou certo que este "jovem" pagaria em dinheiro, deixaria gorjeta e um olhar terno para a funcionária. Depois, concerteza, iria passear um pouco mais pelo Norteshopping (onde ocorreu a detenção), comprar uns "ténis", um perfume, antes de voltar à sua actividade preferida e não declarada nos impostos.
Vai daqui uma salva de palmas para todos os legisladores e "pensadores" políticos que contribuíram para a paz calma deste e de outros "jovens". No fundo, a lei e a justiça em Portugal estão num apuro tal que até dão ajuda a todos os que se dedicam ao ilícito neste momento de crise para todos....

Sem comentários: