12 de fevereiro de 2012

Trezentos mil e um

Os camaradas intersindicalistas comunistas totalitaristas dizem que estavam 300 000 "manifestantes" na praça do povo em Lisboa. Eu acho que deviam promover destas reuniões todas as semanas. É bom para as gasolineiras, portagens, comerciantes, vendas de sandes e garrafões de vinho. Não discuto os direitos e legitimas pretensões dos manifestantes mas as "acções" da inter estão carregadas de ideologia facciosa e repugnante. Se há grupo que tem prejudicado o trabalho e tem incutido o medo no empreendorismo é o vírus desta central, sempre pronta a espalhar o ódio contra os patrões, esses filhos da ..., os fascistas. Até hoje ainda não vi um único camarada intersindicalista a dizer isto, alto e bom som:
– Camaradas, é tempo de lutar, tendes de começar a abrir empresas e a gerar trabalho, temos que nos tornar empreendededores, não basta exigir. Vamos lutar para gerar riqueza.
(!)
 Entretanto, as contas do camarada Arménio (que diz ter ajuntado 300 000, bem à frente de Jerónimo que nunca esticou tanto a língua) devem pecar por escassez, visto daqui parecem trezentos mil e um, nunca menos.

Sem comentários: