13 de maio de 2012

Livros obrigatórios


Há certos livros que deviam ser obrigatóriamente facultados aos meninos que vão para a escola e que eu considero elementares para a compreensão do que é a "nossa" república. É muito bonito vermos os nossos "políticos" e "figuras públicas" falarem dos feriados, do seu significado, do "25 de Abril", do 5 de Outubro, mas, para mim, o mais importante é criar massa crítica, gente independente, com espinha dorsal, que pense pelos seus miolos sem se importar com a propaganda e com o politicamente correcto que, como penso, é moda nojenta. De uma série de livros cruciais, no âmbito da história de Portugal, eu sublinho dois muito importantes: "Banditismo político" (Homem Christo, Madrid, 1913) e "Diários dos vencidos" (Joaquim Leitão, 2ª ed. Lisboa, 2010). O primeiro é uma verdadeira bíblia sobre o que eram os republicanos e o que foi a implantação da república e os anos de opressão que se seguiram. O segundo, foca os dias 4 e 5 de Outubro de 1910, a extensão da cabala da Cabornária e da Maçonaria no ataque ao poder, o sucesso do apoio dos paisanos de Lisboa e a forma repudiante como as "forças armadas" estavam minadas por revoltosos com a consequente desorganização do exército e a debandada dos oficiais, covardia bem vincada nos que posteriormente se declarariam republicanos "de sempre"!!...*

* Honra aos que não se dobraram perante as circunstâncias, entre outros, os oficiais, Frederico Pinheiro Chagas (suicidou-se após se recusar render), Augusto Saldanha, Paiva Couceiro, Pedro Celestino da Costa (assassinado), Estevão Van-Zeller, Martins de Lima, Hermenegildo Capelo, Eduardo Lupi.



Sem comentários: