18 de junho de 2012

Revoltar, sim, contra o "mais estado"


O dirigente do Bloco de Esquerda diz que "Portugal" precisa de se revoltar contra a austeridade e as políticas de terra queimada. Curioso ouvir isto de um acólito da terra queimada, dos motins de rua, da "arruaça grega", do anarquismo (apenas aparente) com vista aos fins de uma ditadura da "esquerda moderna". Este arroto do Louça, saído de mais uma almoçarada regada com tinto do PREC alentejano, é um pedido de revolta a favor de mais estado, de mais estado, de mais estado, que só se empedra com mais impostos, mais impostos ou com mais nacionalizações, mais nacionalizações, mais ditadura de estado. Contra este estado de coisas com que nos deparamos, contra o "mais estado" – construído com empréstimos impossíveis de pagar e com mais impostos – devemo-nos revoltar.

Sem comentários: