7 de julho de 2012

Ajustes sem contas


Um sujeito que publica um roteiro de restaurantes, no Porto, puxou uma orelha ao presidente da câmara Rui Rio porque não gostou que o edíl processasse a sua publicação. Em causa está uma frase inserida artificialmente na capa do roteiro. Rui Rio enfiou uma carapuça que foi feita à sua medida. O que este sujeito fez foi agredir outrém porque sim, apesar de ser um ajuste sem contas feitas. Se toda a gente proceder da mesma forma a civilidade fica comprometida pela violência e pela gratuituidade do ressabiamento. Neste caso, aparentemente, Rui Rio parece ter razão. O Manuel Leitão, que lhe puxou uma orelha, provou com este gesto que é um energúmeno  e o provável autor da frase difamatória. É necessário que o governo não fique moderado com o espectro da "crise" e tenha mão pesada para com a escumalha que espera a todo o momento para se exibir com a desculpa mal cheirosa da "liberdade" e "o povo é quem mais ordena".


Sem comentários: