14 de agosto de 2012

Coroação


Arrastado pelo Miguel Castelo Branco, prendi-me um pouco com este filme. É um filme, eu sei, mas não deixa de ser curioso a tentativa da aproximação histórica à efeméride, sendo que, estou certo, a verdadeira cerimónia que ocorreu em 1804 deve ter sido bem mais pirosa, hipócrita, um autêntico derramar de contradições. Um chinelo a não querer sair dos pés a que pertence. 

Para os que não sabem, nos países da velha europa edita-se (nos países monárquicos e nas repúblicas), desde os princípios do séc. XX, um "Anuário" dos descendentes da nobreza histórica, tendo a moda tido início na Noruega, Holanda e França. Em França, onde as gentes sentem mais a coisa visto poderem ser tetranetos dos genocidas,  existe a Associação de Ajuda Mútua da Nobreza Francesa que, para além de editar o ANF, edita o "Anuário da Não Nobreza" – os who's who – que trata, especificamente, de "anunciar" quem são os nobres que o foram a partir da coroação de Napoleão, que, como sabem, à boa maneira da "liberdade, igualdade e fraternidade", instituiu dezenas de títulos novinhos em folha. Vive la revolution!


Sem comentários: