17 de setembro de 2012

Abraçar um polícia. Adoptar um político


A jovem Adriana decidiu abraçar um polícia. Já tínhamos visto gestos e campanhas de se abraçar uma causa, mas a manifestante, de forma "espontânea" sem se aperceber das dezenas de pessoas com câmaras fotográficas, abriu uma janela de "compreensão" ainda não aberta: "Vamos abraçar um polícia!". Esta jovem de cabelos longos resolveu dar amor porque eles (a polícia) "também são do povo" e precisam de "dinheiro para alimentar os filhos". De igual modo, ela, Adriana, não acredita no dinheiro, talvez, por isso, tenha estado nessa manifestação a reclamar mais dinheiro e o fim da cobrança de dinheiro! Não sei como foi o resto do dia da Adriana mas se a luta dela é dar amor não faltavam milhares de carentes à sua volta para ela se poder exprimir e ser feliz. Adriana, não conseguiu acabar o 12º ano porque não teve nota positiva a Geometria Descritiva mas conseguiu num só gesto criar uma imagem para a futura revolução. Ela foi "a dos cravos", a próxima será "a do amor"!
Tenho tantas ilações a tirar, tanto para escrever e descrever após saber deste gesto da Adriana que só me consigo deter e ir mais longe no desenvolvimento do seu benigno acto de ultra-compreensão: abraçar um polícia, adoptar um político...

 imagem de um reporter do Expresso

Sem comentários: