16 de setembro de 2012

Perguntas e respostas

Estou contra a irresponsabilidade dos gastos imorais executados pelos sucessivos governos nos últimos 38 a anos? Estou, muito, sempre estive.

Estou contra a austeridade? Estou, mas até um cego vê que enquanto falidos somos obrigados a cumprir planos de quem nos empresta dinheiro, para não haver uma guerra civil.

Estou contra as novas medidas da TSU? Estou, não percebo a lógica.

Estou agastado com a impreparada forma de anunciar as "medidas"? Estou, sendo o nosso povo marambista e situacionista convém ter cuidado com frases curtas.

Estou de acordo que devemos seguir o plano da Troika? Estou, ou isso ou a bancarrota, quero dizer, o corte de salários para 10% ou menos da função pública e pensões. Não sou funcionário público!

Estou de acordo que se deve estudar e reformular as recentes (3) medidas incluindo a revisão da TSU? Estou, mas de forma a que não se perca de vista o abatimento do défice.

Estou a ser afectado pela crise? Muito.

Estou de acordo que a manifestação de ontem encheu a baixa do Porto? Sim, pelo que me disseram, mas nada que se compare, muito aquém, às manifestações do tetra e do penta do FC Porto. Nada que se compare à missa celebrada pela sua Santidade Bento XVI.

As estradas estavam transitáveis nas principais vias do Porto? Não, uma confusão. Pelas 16h30, a VCI e via AIP estavam congestionadas por causa do acesso ao Continente e ao Norte Shopping. No sentido oeste, na Boavista e Marechal Gomes da Costa, demorei o triplo do tempo, que costumo demorar a um fim de semana, por causa dos acessos às praias da Foz, Matosinhos e da rotunda da anémona.

Estive nas manifestações? Não. Se o povo se manifestar na rua para derrubar o regime podem contar comigo, para estas manifestações do mais do mesmo, para ajudar a criar condições para a troca de partidos na governação, partidos adeptos da despesa e da hipocrisia, não contem comigo, manifesto-me de outras formas.

Estas manifestações podem dar azo a um relaxamento do governo e a um agravamento do défice, fazendo com que venha uma segunda vaga de austeridade férrea, isto porque as verdadeiras reformas estruturais demoram muito a serem feitas e acarretam sempre víctimas? Sim. Pela cara dos manifestantes, alegres e "vitoriosos" em serem muitos, a esmagadora maioria não imagina que o pior ainda está para vir se se abrir uma guerra, por incumprimento, com a Troika. Depois não vai haver tia para pedir. Como devem estar a esfregar as mãos os comunistas e os extremistas adeptos das grilhetas autoritárias!


Sem comentários: