20 de setembro de 2012

Quando passa o carteiro?


A Casa de Mateus deu o assunto por encerrado e notificou que a Maria Teresa Horta vai receber o cheque no correio! E pronto. A Teresa foi indecorosa com a Fundação que a elegeu. Devia ter recusado o prémio se não o aceitava receber das mãos de determinado indivíduo, também ele, designado para o efeito pela mesma instituição. Faz-me lembrar o Zé ao telefone de Oslo quando recebeu o Nobel: – O prémio é "nosso" mas o dinheiro é meu...!
– Quando passa o carteiro...?


2 comentários:

Paulo Cunha Porto disse...

Meu Caro João,

o título do post dá a solução para uma conduta Hortícola tão abstrusa: como "o carteiro toca sempre duas vezes", a ilustre escritora deve ter pensado que, recebendo por essa via, talvez o bago viesse a dobrar...

Abraço

João Amorim disse...

caro Paulo

O carteiro nem precisa tocar, a poetisa vai estar à janela não vá o bago ir para caixa errada...

abraço