12 de outubro de 2012

Ruína


Não há dia que passe que não surja um novo imposto, que não surja a notícia de aumentos perante os que já existem. A partir do próximo ano, lá para Março, Abril, vamos começar a olhar para as dezenas de auto-estradas de outra maneira, vamos começar a pensar no que é feito dos triliões de euros que, supostamente, nos foram cedidos, a fundo perdido, para ajudar ao "desenvolvimento", vamos começar a abrir os olhos e discernir a verdadeira paisagem que pisamos. Uma ruína. Uma imensa ruína que se iniciou há três décadas e cujo telhado caiu nos últimos meses. Resta-nos olhar para o céu e pedir, tão somente, para nunca deixar de ver. A reacção tumultuosa que se prevê, face ao desumano aumento fiscal, é o abrir de olhos doloroso de um país que nunca se incomodou em viver num edifício construído com mentiras e com um socialismo feito de empréstimos.


Sem comentários: