8 de novembro de 2012

Ciúme xéxé


O actual empregado-mor da república foi convidado a inaugurar um hotel que vai gerar empregos e trabalho. Os jornalistas situacionistas assediaram o empregado-mor. O califa veio criticar o empregado-mor por este ter "quebrado o silêncio", dito umas coisas, num hotel de luxo!! É o ciúme xéxé. O califa que queria ser califa no lugar do califa esqueceu-se que usufrui do luxo da sua fundação – luxo estendido à fundação da sua esposa – do seu motorista, gasóleo, despesas de representação, ordenado, carro topo de gama. É um peregrino de luxo na pobreza desta república portuguesa.

2 comentários:

Paulo Cunha Porto disse...

O Caríssimo João bem vê, quando aparece o lixo a falar do luxo, bem vemos que questões de vogais e presidentes só envolvem insuficiências da mesma igualha.

Abraço

João Amorim disse...

O descaramento é íntimo do despudor no que toca a certo tipo de indivíduos "insuficientes" (como bem diz!)

abraço, caro Paulo