16 de novembro de 2012

O rejúbilo dos covardes


Soa a hora dos covardes agarrados à satisfação dos "resultados". A flácida esquerda masturba-se com a agitação do povo, das massas; tanto prazer na destruição das vias públicas, tanto orgasmo pela insurreição de umas dúzias de encostados à desilusão de uns milhares. Não é difícil ver os covardes a espumar de felicidade e a apanhar os cacos dos outros para si. No dia das eleições muito deve doer-lhes a parte de baixo da espinha. 


2 comentários:

Paulo Cunha Porto disse...

Meu Caro João,
já estou a ver os teóricos de café dizerem para com os seus botões «temos de viver com os insurrectos que temos» e a fazerem cara alegre, o que deve ser facilitado por, ainda assim, terem motivado uma rapaziada para apanhar por eles.

Abraço

João Amorim disse...

caro Paulo

LoL; tudo é espectáculo, tudo é "Casa dos segredos". O circo está montado e a maioria gosta de ver os animais a fazerem proezas.

abraço