7 de dezembro de 2012

Celebrar, hoje, João Camossa


Num dia em que as rádios e televisões andam afoitas com reportagens sobre um dos maiores traidores de Portugal eu evoco uma figura bem mais gigante que o minúsculo aniversariante; falo de João Camossa (1926-2007). Por breves minutos estive a ler um texto que lhe dediquei aquando dos três anos do seu falecimento e que escrevi como publicidade a um evento, que organizei conjuntamente com o Centro Nacional de Cultura, de rememoração a João Camossa.
Um só segundo em sua memória faz esquecer da minha vista o horizonte de ignóbeis que se desfrutam nesta República de mentiras.

"(...) No dia 26 de Janeiro – curiosamente 5 dias antes da comemoração do 31 de Janeiro que os Republicanos tanto gostam de recordar – o CNC vai homenagear um cidadão que fez mais pela república do que muitos dos seus pseudo-heróis. Eu conto lá estar, se Deus quiser, com algumas das pequeninas folhas que o meu querido primo João trazia sempre no bolso e gatafunhava e riscava com contas aritméticas infindáveis. O que eu tiver de escrever escreverei nos teus papeis, João, porventura algo para te dizer ou para entreter o nosso tempo. Porque o meu amor também passou a ter o tempo do teu sentimento."


1 comentário:

Paulo Cunha Porto disse...

Um Meu Caro João,
Uma Grande Figura, que tanto amava a Liberdade, que não se submetia aos totaltarismos, quer do rolo compressor republicano, quer da ortodoxia do próprio Campo.

Abraço