16 de janeiro de 2013

É ou não é


Lendo este artigo fico com a impressão que estou a ler um artigo às avessas. Afinal, para os jornalistas apontadores da história, os portugueses dos anos 50 não eram o protótipo do colonizador novecentista? O filme foi censurado por mostrar a verdadeira relação dos portugueses brancos, africanos ou não, com os indígenas? Afinal não havia classes pobres brancas nas cidades ultramarinas? Afinal fomos uns exploradores dos pretos, fascistas colonialistas, ou fomos uns viajantes porreiros que amaram e constituíram gerações em África?


Foto: espólio família Castelo Branco Graça Ferreira. Lourenço Marques, 1964/65
Legenda: "Maria, o Miguel (Castelo Branco), o Bernardo, o nosso cão Barine e eu (Nuno Castelo Branco)."

2 comentários:

Paulo Cunha Porto disse...

É delicioso o pormenor que dá os Portugueses que só conheciam Lourenço Marques pela propaganda do Anterior Regime a dizerem que era na selva e havia leões a passear nas ruas... Afinal, parece que a ominosa ditadura não pintava a realidade em cores assim tão embelezadoras, o quadro é, de longe, pior que aquele que conheci. A não ser que se referissem a Sportinguistas, nesse tempo ainda bastantes andavam de juba erguida, só pode ser isso.

Abraço, Meu Caro João

João Amorim disse...

caro Paulo

Falar com ex combatentes que lutaram nas colónias e que fizeram amizades com indígenas, brancos e pretos! Falar com africanos brancos que nunca haviam posto os calcanhares em Lisboa antes de 1974! Esses são os verdadeiros realizadores.

abraço