26 de abril de 2013

Ai 25, ainda bem que hoje é 26


(...) Mas a criança nasceu mal. Com uns meses de vida, foi atacada de grave moléstia de sarampo que a deixou cega e surda para a vida. Entre os 2 e os 12 anos sofreu a dura fome para, logo, arranjar uns pais europeus adoptivos que lhe permitiram passar a adolescência e a vida adulta entregue aos excessos de glutoneria. 
Aos trinta e poucos, pediram-lhe contas do que havia feito. Só então se deu conta que nada havia feito, que não se havia preparado, que era dependente, que parasitava os doadores, que pedia emprestado para comer, para morar, para se transportar. (...)

Sem comentários: