19 de abril de 2013

Boston

Ao ler os comentários desta notícia na CBS fiquei com a certeza que a sociedade americana é uma sociedade dividida sobre a aceitação de emigrantes mas perentória no julgamento sumário dos "islâmicos" e dos "anti-americanos". O atentado de Boston não foi perpetrado por "profissionais" do médio-oriente mas por dois desintegrados, jovens, falhados, porventura, "saudosos" do radicalismo que os levaria a deixar a Tchetchénia. Há quem nunca aprenda. Outra questão que me despertou é a condenação, por parte dos cidadãos americanos (a "amostra" dos comentários não pode ser extrapolada mas denota muito do nervo daquele povo), ao "terrorismo". Todavia, nem uma frase sobre os milhares de mortos no Iraque ou sobre o apoio militar à Al Qaeda, nos anos 80, entre outros grupos agora do "lado contrário". A guerra de palavras que vai nos media americanos denota os grupos e seitas que vivem fechados sobre si no país: os cristãos, os judeus e os outros! A tolerância, essa, fica para tempos mais moderados porque o momento que está a parar a América é conseguir o melhor plano para seguir em directo uma caça ao homem. Uma história que eles sabem bem dividir em capítulos de forma a inserir a publicidade, intercalada.

2 comentários:

Paulo Cunha Porto disse...

Sabe, Meu Caro João,
em tempo deguerra, ser imparcial é capitular e aquela pouco prezada Civilização está numa guerra. Mas ainda acho estranha aquela atribuição dos atentados, que não me parece totalmente sustentada. Em todo o caso, se se confirmar, publicarei alguma reflexão conexa.

Abraço

João Amorim disse...

A ver vamos, a novela não pode durar só 3 episódios...

abraço