16 de abril de 2013

O país do fato de treino de cerimónia



Não sabia que se passavam credenciais, tipo Diploma, aos eleitos como "presidente da república" mas não estamos a falar de um país qualquer mas sim de amigos do socialismo português, na figura do ex-ministro José Sócrates, a Venezuela. Só em países com este nível de socialismo é que o fato de cerimónias é um fato de treino; e para as idas à televisão uma "farda à civil" com a indispensável boina e estrelinha. Por cá a moda ainda não pegou, completamente, mas já está assimilada há 38 anos. Para os que não repararam a maioria dos políticos são adeptos do estilo chinelo.

2 comentários:

Paulo Cunha Porto disse...

O BE, na inefável teorização da Sr.ª D. Fernanda Câncio, chegou a doutrinar sobre a havaiana como símbolo da respectiva hã presença...
Quanto ao Bolivarismo, a cor das respectivas camisas faz-me sempre recordar o tom avermelhado vivo das da milícia de Garibaldi. E só estranho que esta uniformização camiseira não faça soar as sereias de alarme contra a uniformização Fascista que, com outras cores, mas aliada aos herdeiros do unificador da Itália, a celebrizou.
Quanto aos fatos de treino, apenas indicam que ainda é preciso muito esforço para conseguirem participar na prova da Decência.

Abraço, Meu Caro João

João Amorim disse...

É o "socialismo" no seu esplendor gráfico/textil; muito vermelho, muito amarelo e quanto ao "azul", arre, cai no liláz. O Hugo tinha uma colecção de fatinhos de se apreciar, mas como nunca lhe vi os pés não sei se teria umas havaianas ao gosto da Cãncio. Concerteza, teria....

abraço