9 de maio de 2013

Em Portugal os cidadãos pagam por bébés mortos. Não é tráfico, é assassínio


A Guardia Civil Espanhola investiga um crime de tráfico humano, de recém-nascidos, em que estarão envolvidos parteiras, médicos, pais e até duas freiras. O objecto do tráfico assentava na compra de bebés. Deve haver muita gente escandalizada. Eu também estou mas não me esqueço que uma parte da população portuguesa votou a favor do aborto legal em Portugal o que é o mesmo que dizer que os contribuintes, os cidadãos, pagam por bebés mortos. Não é tráfico, é assassínio.

1 comentário:

Paulo Cunha Porto disse...

Mas querem lá saber, Meu Caro João! É o comodismo homicida e egoísta, insensível à morte e ao sofrimento daqueles que não se podem insurgir. Hoje, num propósito mais vasto, toco o tema, lá pelo meu beco blogosférico.

Grande abraço