12 de junho de 2013

Mais direitos para exercer, com a língua bem exercitada


Um cidadão foi multado em 1300 euros por insultar o Presidente da República. Acho pouco, devia ser muito mais e não sou Republicano! Se calhar por isso. Um cidadão do regime que se diz igualitário, fraterno, libertário não pode andar a ferir susceptibilidades do seu maior. Diz o justo que “Vivemos num país democrático e exerci o direito que assiste a qualquer cidadão, de liberdade de expressão”. Ah, a tal liberdade de expressão que foi sonegada em 1910 pelos camaradas da I República a bem da estabilidade da governança. Com a imprensa que temos o cidadão terá mais do que 15 minutos de fama. Talvez lá para a noite pense que, afinal, foi um dos momentos altos da sua vida! A polícia à paisana fez o que tinha de fazer, o sumaríssimo judicial foi aquém da lei pois não interessa andar a cortar a liberdade aos cidadãos exemplares como o justo que se queixa por lhe andarem a ir ao bolso. Da próxima vez que se abeirarem as eleições à Presidência da República o justo que se lembre ao que vai votar. O melhor era ir passear, outra vez, para Elvas e lembrar-se que há alternativas ao regime. Mas não creio. Julgo que o justo quer é mais República, mais Presidentes para levarem com as, suas, culpas, mais direitos para exercer, com a língua bem exercitada para que não se cale, nem de cansaço, a liberdade de exercício, mesmo que mal intencionada, injusta, infame, gratuíta, que nos assiste.

Sem comentários: