4 de julho de 2013

É a pena


Tentar perceber o que se passa é muito difícil! Cada jornal cada sentença, cada televisão cada tendência, cada blogge cada crença, cada comentário cada ofensa. Todos querem que a realidade cumpra a sua vontade, seja pessoal ou ideológica. Mas não será assim. A crise tem atado e confinado os movimentos da governação e a mesma crise "guiará" a solução política iniciada pelas desavenças pessoais que, de facto, estão na razão deste imbróglio político. Ninguém tem razão! Todos têm culpas. Os políticos no poder, os políticos na assembleia, os ratos escondidos na rectaguarda. A nossa soberania está reduzida a poucos metros de autonomia. Que ninguém tenha dúvida que os credores internacionais não terão complacência com mais revoluções e manifestações. Exigir eleições – como se o partido ou coligação vencedora alterasse o quadro económico caótico – não alterará o trabalho forçado que estamos obrigados a cumprir por muitos anos. Como eu tenho falado, é a pena que temos de cumprir pelo crime que uma maioria cometeu ao votar e arrotar continuamente as ladainhas mansas do "é tudo nosso", "Grândola vila morena", "Portugal não pode parar"....

Vídeo: "roubado" ao Kosta de Alhabaite

Sem comentários: