26 de agosto de 2013

Dos bombeiros, dos polícias, dos enfermeiros, dos médicos, das IPSS, da Cáritas, da Santa Casa da Misericórdia e até dos antigos Combatentes do Ultramar


O coordenador do Bloco, uma espécie de puzzle partidário onde se cantam as ossanas ao genocída Estaline, rebocado pela "agitação" nas "redes sociais", sobre o pesar do presidente da República ao falecimento do economista António Borges, exalta o papel dos Bombeiros e os mortos havidos à custa dos (tradicionais) fogos de verão. Diz, Semedo, que o presidente devia fazer uma homenagem pública aos bombeiros. Devia. Aos falecidos e os vivos. Em minha casa, costumo dizer às minhas filhas que devem respeitar com suplementar consideração, pela profissão e sacrifício, os bombeiros e os polícias. Mas, existem outras "profissões" de risco, de sacrifício, de altruísmo! Todos nós, pelo menos uma vez na vida, temos oportunidade para ajudar ou para um golpe maior de coragem. São inúmeras as actividades profissionais que lidam com a carência, o arrojo, o concidadão, a piedade, a caridade. Mas não menos preponderante é o papel dos empresários que sacrificam o seu património para pagar impostos das empresas a fim de que estas continuem a labutar ou o legislador que escreve um lei imparcial e íntegra. Semedo acusa o presidente de ter tido uma atitude "chocante" ao não publicar no seu Facebook uma palavra aos bombeiros falecidos (pelo que se sabe, fê-lo em privado), eu, também considero chocante o coordenador lembrar-se dos idos para o rebate político e de não prestar, essa, homenagem a todos os que lutaram por Portugal independentemente da sua cor política, sem esquecer os arredados e humilhados antigos combatentes do ultramar, tão espezinhados pela esquerda solidária, onde se inclui o Semedo ( o mesmo que juntamente com o Rosas disse em 2008, na Assembleia da República, que o assassinato do chefe de Estado D. Carlos I foi "útil" e "heróico" para o propósito da queda da Monarquia e, desse modo, não apoiavam um voto de pesar!). 
Para quando uma homenagem pública dos evangelistas de esquerda aos Heróis falecidos no Portugal ultramarino?

Sem comentários: